A atividade física é um presente para o corpo, já que ajuda a emagrecer, torneia as pernas e deixa tudo durinho, mas mais ainda para a mente, é o que afirmam os especialistas da Escola de Saúde Pública de Harvard.
De acordo com eles, 20 minutos de exercício físico de média intensidade, como a caminhada, intensifica vários tipos diferentes de funções do cérebro, quais sejam, o tempo de reação, a execução das funções de planejamento (memória, raciocínio complexo e bloqueamento de dados desnecessários, por exemplo). Tudo isso foi comprovado através de exames de ressonância magnética, lembrando que esses são os efeitos imediatos.
Os efeitos são imediatos, e sim, deixam a pessoa mais inteligente, mas não basta uma única sessão para que surjam, já que após um treino de 60 minutos o cansaço acaba atrapalhando a melhora cognitiva que foi conquistada durante essa atividade. Além disso, se o corpo não estiver hidratado ou se a alimentação não for a adequada – diga-se, equilibrada e saudável – os benefícios também são reduzidos.
Ao realizar exercícios de intensidade moderada, o organismo acaba ativando o sistema nervoso simpático e aumentando os níveis de adrenalina, o que estimula a melhora do desempenho mental. Já quando são praticados exercícios com uma intensidade muito alta, o esforço empregado acaba afetando a capacidade de realização das tarefas que exigem um maior raciocínio e interferem na capacidade de concentração.

 

Conheça Seus Limites e Evite os Excessos
É preciso saber a hora de parar e evitar os excessos, para evitar, dentre outras coisas, lesões de médio ou grande porte e arritmias.
Como o humor tende a melhorar com a prática regular de exercícios físicos, ele serve de parâmetro para avaliar se há ou não um excesso. Caso o humor não melhore, é preciso reavaliar a dosagem do exercício, que pode estar sendo excessiva.
Esse excesso pode causar sérios problemas de saúde, podendo, inclusive, ser fatal em alguns casos, a prática contínua de alta voltagem faz com que o coração seja maior do que de uma pessoa que não pratique exercícios nessa intensidade, e isso pode desencadear, por falta de acompanhamento ou treinamento excessivo, problemas cardíacos e até morte súbita.
Além disso, os efeitos negativos do excesso de treino pode ser potencializado pela má alimentação, sobretudo quando a dieta contém pouca ou nenhuma quantidade de carboidrato, que é quem doa energia para os treinos. Carboidrato é energia pura e precisa ser ingerido antes do exercício, sobretudo em casos de atividades de longa duração ou intensidade.

 

De Olho na Alimentação!
Falando em alimentação, há que se ressaltar que para obter  um bom resultado no treinamento físico, é preciso fazer uma dieta adequada, alimentando-se antes e depois dos exercícios para manter o organismo equilibrado e o metabolismo acelerado.
Não existe uma dieta que sirva para todas as pessoas, de forma que o cardápio deve ser individualizado, mas é certo que ela precisa, sim, ser balanceada, e isso independe se o intuito é ganhar ou perder peso, definir o corpo ou ganhar massa muscular.

 

 

Fonte: Muito Mulher