Escovar, pentear os fios sempre foi uma dúvida cruel. Mas como um ato tão corriqueiro pode trazer malefícios? Como, então, ele deve ser feito? Pedimos ajuda à dermatologista Ana Carina Bertin, de São Paulo, e à tricologista Viviane Coutinho, da Clínica Juliana Neiva, no Rio, para responder as principais dúvidas sobre o tema.

Por que, às vezes, ao escovarmos os fios, eles quebram?

A gente não se dá conta, mas o ato de passar a escova nos fios é uma agressão à matéria capilar.
“Quando escovamos com muita força, excedemos a capacidade de elasticidade do fio e ele arrebenta. Os fios mais finos por natureza ou por processos químicos resistem menos ainda, por isso devem ser menos esticados”, explica Ana Carina.

Qual o maior erro cometido na hora de escovar os fios?

A primeira coisa a ser feita é escolher a ferramenta certa, segundo Viviane:
“Os pentes são ideais para desembaraçar, principalmente, quando eles estão molhados, e para texturas cacheadas ou crespas. As escovas são ideais para cabelos lisos e mais secos. Querer desembaraçar o cabelo com a escova quando eles ainda estão molhados é um dos maiores erros”.

Escovar durante o banho ajuda a diminuir a quebra?

Dá uma ajuda, sim, já que o fio molhado é mais elástico que o seco. Se ele for lavado com condicionador, então melhor ainda.

É melhor começar a desembaraçar da raiz em direção às pontas ou isolar as pontas primeiro?

A lógica é sempre de baixo para cima, não se esqueça.
“A escovação deve ser feita em três fases: pontas, parte média do cabelo e, para finalizar, a raiz”, ensina Ana Carina.

Quais são os tipos de pente/escova mais indicados para um processo saudável?

Não existe uma regra, já que tudo depende do tipo de cabelo. Os cabelos lisos e finos pedem pente de madeira ou escova de fibra natural, que minimizam as quebras. Já os grossos precisam de pentes largos com cerdas espaçadas.
“Só recomendo pente fino para homens com cabelos curtos e finos”, diz Ana Carina.

Por que e em qual frequência deve ser feita a higienização de pentes e escovas?

Muita gente não presta atenção, mas as cerdas que passam pelo cabelo acabam acumulando resíduos de produtos que não conseguimos ver. O ambiente, portanto, fica propício para acúmulo de ácaros, fungos e bactérias que podem afetar o couro cabeludo.
“A cada uso, deve-se tirar sempre os fios que ficam presos”, ensina Viviane. “Uma vez por semana, é preciso remover sujeiras com água corrente e, a cada dois meses, colocar o pente ou escova de molho em água morna”.

 

Fonte: O Globo